8 de julho de 2011

Assassinato brutal de mulher choca a cidade de Rio das Pedras SP

A qualquer momento mais notícias rdp...

01 de julho 2011. Mulher foi morta a pedradas durante madrugada em Rio das Pedras SP, suspeita-se que também foi violentada brutalmente pelo assassino.

O terreno fica próximo a rodoviária especificamente atrás do centro de saúde, local aberto e escuro o que colaborou com o criminoso.
O espaço De olho aqui mesmo no site, vem reclamando da falta de iluminação na cidade já faz um tempo e parece que ninguém dá ouvidos, quem sabe agora sim, são vários postes com luzes queimadas e luzes que perdem o brilho com o tempo principalmente as brancas e lembrando que o local do assassinato é bem movimentado por mulheres durante madrugada para pegar fichas de consultas.



Reportagem TV Record com modelo Giovanna Biotto
Parabéns aos Políciais Militar, Civil e Guarda Civil que fazem o melhor que podem por Rio das Pedras, uma cidade tão pequena e tão violenta.



Trenzinho do lar dos velhinhos, aquele que andava nas ruas de Rio das Pedras, tomba e deixa 23 crianças feridas em Piracicaba.


 

Rio das Pedras registra 90 furtos em quatro meses
Número de pedintes que batem na porta das casas na área central já preocupa moradores.

A cidade, embora pequena, já vivencia os crimes dos grandes centros urbanos, como o roubo de carros

O número de ocorrências policiais em Rio das Pedras nos quatro primeiros meses de 2011 tem assustado os moradores da cidade. Neste começo de ano, de acordo com a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo, foram dois homicídios dolosos (quando há intenção de matar a vítima) e 68 lesões corporais dolosas.

O número de furtos também impressiona. Foram 90 nestes quatro primeiros meses. Foram outras duas tentativas de estupro, além de dez furtos de veículos, prática criminosa sempre entre as mais comuns em cidades do porte de Rio das Pedras. Ocorrências de tráfico somam 12, com 41 lesões corporais decorrentes de acidentes de trânsito.

A cidade, embora ainda pequena, já vive muitas das contradições sociais dos grandes centros urbanos, como a pobreza e a falta de emprego e, com isso, nada mais natural que as pessoas se tranquem em casa com receio de se tornarem mais uma vítima de violência. Problemas como furtos, roubos e drogas são mais do que comuns. Os números da Secretaria mostram apenas aqueles casos em que houve o registro da ocorrência.

Como a Tribuna destacou em edições anteriores, os moradores da cidade têm pedido por medidas mais efetivas no combate à criminalidade. O número de pedintes que batem na porta de casas na área central já preocupa algumas pessoas. Hábitos como a tradicional conversa com os vizinhos até à noite vêm sendo paulatinamente sendo substituído por assistir a TV em casa, trancados.

Fonte: A Tribuna


Brigas de Trânsito termina em mortes na cidade de Rio das Pedras

No dia 28 de maio uma briga de trânsito acabou em tragédia na cidade de Rio das Pedras. O crime aconteceu por volta das 19h20 na Rua João Brasil Montagner, no bairro Vitória Perim Cezarino.



A discussão de transito envolveu uma Parati ocupada por três indivíduos e um Santana ocupado pela vitima. Após o desentendimento, os três indivíduos foram atrás da vitima. “Eles deixaram o veículo afastado, dois desceram e um realizou o disparo com uma arma calibre 38 de seis polegadas”, comentou o delegado Vagner Romano.



Naquela mesma noite a Policia Civil conseguiu levantar as identidades do trio e os dados do automóvel utilizado, porém eles não foram encontrados. Passados três dias após o crime, os três se apresentaram na delegacia acompanhados de um advogado.



O autor do disparo confessou o crime e falou aonde tinha escondido a arma. A Parati e o Santana foram periciados. Uma vez que eles não foram presos em flagrante e se apresentaram a policia, agora eles aguardam o final do processo em liberdade, para serem julgados pela Justiça.

Fonte: A Tribuna



Morre, aos 81 anos, o ex-presidente Itamar Franco

O ex-presidente e senador Itamar Franco (PPS), de 81 anos, morreu na manhã deste sábado, 2. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, desde o dia 21 de maio para tratar de leucemia. Desde então, ele permanecia licenciado de suas atividades no Senado. Nos últimos dias, o ex-presidente apresentou um quadro de pneumonia grave e precisou ser transferido para a UTI do hospital.
De acordo com a assessoria do ex-presidente, Itamar estava acompanhado no hospital pelas filhas Georgiana e Fabiana, além de assessores próximos. A assessoria informou também que, em princípio, o corpo do ex-presidente será velado em Juiz de Fora (MG) e depois cremado em Belo Horizonte (MG).
Baiano no registro civil, Itamar se tornou um dos mais destacados e comentados políticos mineiros das últimas décadas. Para o País, surgiu na eleição presidencial de 1989, como candidato a vice de Fernando Collor de Mello. Terminou por assumir a Presidência da República após o impeachment do ex-governador alagoano, com quem vivia às turras.
Mesmo entre os mais críticos, Itamar costumava ser reconhecido pela retidão ética. Igual reconhecimento ele sempre cobrou em relação ao legado da estabilidade do País. Econômica, com o lançamento do Plano Real durante seu governo, e política, com a transição bem sucedida após o desastroso desfecho da gestão Collor.
Com seu indefectível topete, o ex-presidente também chamou muita atenção pelo estilo intempestivo, muitas vezes enigmático. Protagonizou situações embaraçosas e embates memoráveis. Se dizia nacionalista e abusava era das referências às 'montanhas de Minas'.

Como político, o engenheiro Itamar gostava dos cálculos bem pessoais. Orgulhava-se de ter sido fundador do MDB, posterior PMDB, mas não fazia cerimônia: deixava o partido toda vez que seus interesses eram contrariados.

O ex-presidente também melindrava facilmente e não raro surpreendia aliados com rompantes de fúria. Atribui-se a Tancredo Neves a frase de que Itamar guardava o 'ódio na geladeira'.

Em um ponto, porém, detratores e apoiadores concordam: na política, o acaso costumava conspirar a seu favor.

Trajetória. Itamar nasceu em 28 junho de 1930 a bordo de um navio de cabotagem, no mar entre o Rio de Janeiro e Salvador. A mãe, dona Itália Cautier, havia ficado viúva de Augusto César Stiebler Franco pouco antes do nascimento do filho e o registrou na capital baiana, onde morava um tio.

Mas Itamar cresceu e tomou gosto pela política em Juiz de Fora (MG), origem de sua família. Estudou no Granbery, o mais tradicional colégio da cidade da Zona da Mata mineira. Na rigorosa instituição, vinculada à Igreja Metodista, se tornou destaque do time de basquete.

Concluiu o curso Engenharia Civil em 1955 e naquele mesmo ano estreou na política se filiando ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Em vão, tentou se eleger vereador em 1958 e vice-prefeito em 1962. Alcançou o primeiro cargo público - a prefeitura da cidade - cinco anos depois, já filiado ao antigo MDB após o golpe militar de 1964 e o estabelecimento do bipartidarismo. Ficou no Executivo municipal até 1971. No ano seguinte, conquistou um novo mandado na prefeitura, mas em 1974 renunciou e foi eleito senador por Minas Gerais.

Já no PMDB, após o restabelecimento do pluripartidarismo, Itamar foi reeleito para mais um mandato de senador em 1982, na chapa que levou Tancredo Neves ao governo de Minas. Em 1986, deixou o PMDB e filiou-se ao PL para disputar o governo de Minas. Acabou derrotado justamente pelo peemedebista Newton Cardoso, que havia lhe fechado as portas no antigo partido.

Itamar voltou ao Senado, participou dos trabalhos da Assembleia Constituinte, mas antes de encerrar o mandato aceitou o convite do então jovem governador de Alagoas, Fernando Collor de Mello, para compor como vice a chapa vitoriosa na campanha presidencial de 1989. O senador por Minas deixou então o PL para ingressar no obscuro Partido da Reconstrução Nacional (PRN).

As rusgas com Collor começaram ainda na campanha. Tanto que o presidenciável teria solicitado uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para saber se poderia trocar seu candidato a vice.

Fonte: Estadão


Notas de falecimentos - Rio das Pedras SP

HELENA MARIA CESARINO DUARTE

Faleceu 2/7/2011, contava 57 anos, e era casada com o Sr. Antonio Francisco Duarte. Era filha do Sr. Sebastião Cezarino e da Sra. Maria Nair Duarte, ambos falecidos. Deixou os filhos: Valdecir Francisco Duarte, Nilton Osvaldo Duarte, Alexandre de Jesus Duarte, Maria Cristina Duarte e Patricia Aparecida Duarte. Deixou também 09 netos e 01 bisneto.